top of page

A abertura

O pós-guerra foi uma época de grandes avanços tecnológicos na Europa que se reconstruía, rendendo uma busca por maior praticidade, ergonomia e eficiência. Margarete Schütte-Lihotzky, arquiteta vienense, apresentou ao mundo o que seria conhecido como a Cozinha de Frankfurt, pensada para facilitar os processos de preparo e armazenamento, praticidade na limpeza e ergonomia do usuário. Ainda que esse trabalho de design propusesse criar a cozinha perfeita, ela tinha uma porta pensada para isolar a área de preparo da área social; acontece que a Cozinha de Frankfurt foi criada dois anos antes do voto feminino universal ser aprovado no Reino Unido, em um período entre duas guerras mundiais.

Ainda que a perfeição seja cientificamente comprovada, afinal a Cozinha de Frankfurt era mais prática, eficiente e ergonômica que cozinhas tradicionais, podemos imaginar que o que entendemos por ideal e perfeito muda com o passar do tempo. Ainda que Margarete defendesse os armários azuis escuros para facilidade de limpeza, hoje nossas cozinhas demandam o aconchego da madeira que abraça o piso e a mesa de jantar, ainda que seja preciso integrar eletrodomésticos que outrora estariam escondidos numa edícula, porque atualmente, já não temos mais tanto espaços para ter uma edícula.

Não só a tecnologia avança, mas as necessidades também acompanham a evolução. Para um confeiteiro, a cozinha perfeita precisa ter bancadas claras e resistentes, fornos potentes e uma área de refeições integrada, mas daqui cinco ou dez anos, essa necessidade pode ser outra, já que* cada vez mais percebemos como o mundo muda rápido e como somos capazes de nos adaptar.

E parece ser muito natural que a evolução das nossas cozinhas tenha sido se abrir para a mesa de jantar e o sofá, afinal, se esses dois móveis não fossem tão importantes para a história das nossas casas eles não teriam ganhado textos próprios. Por isso que projetamos e construímos, reprojetamos e reformamos, porque mesmo que nossa mesa esteja talhada em mármore, sempre podemos acabar precisando de mais uma cadeira; ainda que a geladeira seja grande as vezes teremos que comprar mais gelo e ainda que o sofá caiba todo mundo, as vezes teremos que puxar uma banqueta.


Posts recentes

Ver tudo

A varanda

Os tecidos

bottom of page